Covid-19 mata 4 mil pessoas em apenas um dia no Brasil

O Brasil registrou 4.211 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, segundo o consórcio de veículos de imprensa. O novo projeto aprovado pela Câmara prevê que, além de poderem comprar vacinas autorizadas pela Anvisa, as empresas também terão como alternativa a aquisição de imunizantes autorizados por autoridades de saúde estrangeira reconhecidas pela OMS

Por Valor, G1 e Agência Brasil

07/04/2021 09h04  Atualizado há uma hora


O Brasil registrou 4.211 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, batendo pela primeira vez a trágica marca de 4 mil óbitos anotados em um só dia e totalizando ontem (6) 337.364 vítimas. Com isso, a média móvel de mortes no país nos últimos 7 dias ficou em 2.775. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +22%, indicando tendência de alta nos óbitos pela doença.

Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h de ontem. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

O grande registro de óbitos do dia reflete o represamento de dados do final de semana estendido após os feriados da Páscoa. Aos sábados, domingos e feriados, quando há equipes menores trabalhando, é comum que os números venham menores do que durante a semana e isso resulte em represamento dos registros, verificado nos dias posteriores.https://orama.valorinveste.globo.com/passo-00-miniform?iframe=sim

Além do Brasil, apenas os EUA já registraram mais de 4 mil vítimas em um único dia; em seu pior momento após as festas de fim de ano, o país norte-americano anotou 4.476 mortes no dia 12 de janeiro, segundo o portal Our World in Data. Por esse parâmetro, o país com a terceira pior marca foi a Argentina, com 3.351 mortes anotadas em 1º de outubro do ano passado, segundo a mesma fonte.

Já são 76 dias seguidos no Brasil com a média móvel de mortes acima da marca de mil; o país completa agora 21 dias com essa média acima dos 2 mil mortos por dia; e é o décimo primeiro dia com a média acima da marca de 2,5 mil. O número voltou a subir nesta terça, após quatro dias em queda.Leia tambémFarmacêuticas são multadas por preços altos em remédios contra a covid-19

Veja a sequência da última semana na média móvel:

QUARTA (31): 2.971 (RECORDE)

QUINTA (1º): 3.119 (RECORDE)

SEXTA (2): 3.006

SÁBADO (3): 2.800

DOMINGO (4): 2.747

SEGUNDA (5): 2.698

TERÇA (6): 2.775

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 13.106.058 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 82.869 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 63.143. Isso representa uma variação de -16% em relação aos casos registrados em duas semanas, o que indica tendência de queda nos diagnósticos.https://ee79d913c489994b8cae467154fe0c6a.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Treze estados e o Distrito Federal estão com alta nas mortes: ES, MG, RJ, SP, DF, MS, MT, AP, PA, CE, MA, PB, PE e PI.

CCJ aprova projeto que autoriza processar quem deixar de notificar casos

Com uma sessão marcada por um vaivém do governo federal, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou ontem o avanço da proposta que permite processar criminalmente quem descumprir a obrigatoriedade de notificar casos suspeitos e confirmados de covid-19 e de síndrome respiratória aguda grave (SARS). O texto segue para análise de outros colegiados antes de ser encaminhado para apreciação pelo plenário da Casa.

Relatado pelo deputado Marcos Pereira (Republicanos-SP), o projeto estabelece que quem descumprir a norma terá que responder por crime de desobediência e omissão de notificação de doença. Além disso, a proposta determina que essas pessoas sejam responsabilizadas civil, administrativa e criminalmente.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: