Adolescentes de centros socioeducativos do Amazonas recebem curso de informática avançada

Adolescentes que cumprem medidas de restrição nos centros socioeducativos Senador Raimundo Parente, Dagmar Feitosa e Internação Feminina contam com cursos de informática avançada, para capacitá-los ao mercado de trabalho. No Raimundo Parente e Internação Feminina, as turmas são compostas também por moradores das zonas norte e centro-oeste de Manaus, onde ficam localizadas as unidades.

Fruto de uma parceria entre a Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), coordenadora do sistema socioeducativo, e o Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), o curso de informática avançada conta com carga horária de 80 horas, sendo ministradas aulas de segunda a sexta-feira, com quatro horas de duração.

Segundo a secretária Mirtes Salles, titular da Sejusc, é de suma importância oferecer oportunidades para que os adolescentes possam ter novas perspectivas.

Oportunidades
“Estamos cumprindo o que é estabelecido pelo Estatuto da Criança e do Adolescente [ECA]. Os cursos do Cetam trazem novos conhecimentos e oportunidades. Quando esses jovens finalizarem as medidas de restrição, eles sairão dos centros preparados para o mercado de trabalho. Somente com educação e trabalho podemos mudar nossas vidas”, disse a gestora.

O secretário executivo de Direitos da Criança e Adolescente da Sejusc, Emerson Lima, explicou que levar os cursos de formação para dentro das unidades é de fundamental importância para o processo de ressocialização e de combate à reincidência.

“Se nós não proporcionarmos esses cursos profissionalizantes, que temos em parceria com o Cetam, tais como informática avançada, piscicultura, mecânica de motos e corte e costura, eles podem voltar a cometer atos infracionais. O estado do Amazonas e a sociedade têm o dever de propiciar ferramentas para que esses jovens sigam suas vidas de maneira mais digna”, afirmou o secretário.

Experiência aprovada
Mãe de uma adolescente de 15 anos, que reside em um bairro próximo à Unidade de Internação Feminina, Eliana Nascimento de Souza afirma estar sendo uma experiência engrandecedora para a filha Evelyn estudar no espaço. No local, ela está finalizando o curso de informática básica e tem uma boa relação com as adolescentes que cumprem medidas socioeducativas.

“Está sendo uma experiência maravilhosa. Inclusive, a minha filha está aguardando para fazer o curso de informática avançada. Tudo aqui é bem organizado. Gostei bastante porque respeitam o distanciamento social, o uso de máscaras e tem bastante álcool em gel”, destacou Eliana.

Formação
O instrutor de informática do Cetam, Sebastião Alves, contou que os adolescentes estão receptivos em relação às ferramentas presentes no programa Word. “Eles gostam de trabalhar com formas, tabelas e imagens. Com o Excel, eles vão começar a usar planilhas”, adiantou o educador.

Foto: Eduardo Guimarães/Sejusc

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: