Covid-19 leva Zezinho Corrêa, ícone da Cultura Amazonense

Considerado o maior ícone da cultura amazonense, o cantor Zezinnho Corrêa perdeu a batalha contra a Covid-19 e morreu, neste sábado, em decorrência de complicações causadas pela doença.
Com 69 anos de idade, Zezinho estava internado, desde janeiro no Hospital da Samel, após ser diagnosticado e apresentar complicações geradas pela doença.O quadro clínico do cantor oscilou por diversas vezes. Ele chegou a passar por diversos intervenções e foi intubado, mas chegou a ser extubado e ter uma melhora no quadro. Entretanto, Zezinho Corrêa morreu de parada cardíaca no início da manhã do sábado.

A família do cantor divulgou nota sobre o falecimento nas redes sociais.

Despedida

O velório do cantor Zezinho Corrêa aconteceu no balneário do Sesc, onde o cantor trabalhou por por mais de três décadas. A despedida foi restrita à família, devido aos protocolos de segurança contra a disseminação da Covid-19. Logo após o caixão com o corpo do artista foi transportado para o Cemitério São João Batista, em cima do caminhão de bombeiros. POr onde passou recebeu aplausos do público. O sepultamento também obedeceu às orientações da OMS para evitar contágio pelo Coronavírus.

Zezinho Corrêa nome artístico de José Maria Nunes Corrêa (Carauari21 de maio de 1951 — Manaus6 de fevereiro de 2021) foi um cantor brasileiro, conhecido por integrar a Banda Carrapicho.[1]

Zezinho nasceu em Carauari no interior do Amazonas.[2] O artista iniciou a carreira como ator, depois de fazer um curso de formação no Rio de Janeiro.[3][4]

Zezinho atuou em diversos musicais até investir na carreira de cantor e, em meados da década de 1980, integrou o grupo Carrapicho, junto com os músicos Roberto Bopp e Nill Cruz, que estourou na década de 1990 com o hit “Tic, Tic Tac”.[5][6]

Também investiu em carreira solo, produzindo projetos musicais. Entre os destaques estão a participação no musical “Boi de Pano”, durante o Festival Amazonas de Ópera de 2000; a gravação do próprio CD solo no ano de 2001, no Teatro Amazonas e a participação no musical de Natal “Ceci e a Estrela”, em 2017.[7][8][9]

Zezinho faleceu em 6 de fevereiro de 2021, em Manaus aos 69 anos, após complicações da Covid-19 em meio à pandemia de COVID-19 no Brasil.[10][11][12]

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: