Livro revela intrigas e disputas na criação do Aurélio

O dicionário Aurélio, o maior best seller do mercado editorial brasileiro, é o personagem do título que acaba de ser lançado pela Editora Máquina de Livros. Em Por trás das palavras, o jornalista Cezar Motta revela as intrigas e disputas que marcaram a criação do dicionário, publicado em 1975 pela Nova Fronteira.

A produção da mais ambiciosa obra de referência do país teve traições, conflitos, cobiça e disputas de coautoria que foram parar no Supremo Tribunal Federal, 40 anos depois do lançamento do Aurélio. De um lado, o filólogo, professor e escritor Aurélio Buarque de Holanda; do outro o jornalista Joaquim Campelo: os dois principais personagens dessa história. Cezar Motta narra em detalhes a incansável busca por recursos para financiar o projeto e, mais tarde, a acirrada disputa pelos milhões gerados nas vendas.

Com mais de 15 milhões de exemplares vendidos, o Aurélio modernizou o português falado no Brasil, inserindo palavras que surgiam nas décadas de 1960 e 1970, fruto de mudanças tecnológicas e comportamentais. O advogado gaúcho Getúlio Lucas de Abreu (69), tem um exemplar da primeira edição do dicionário, onde até hoje encontra uma forma completa de pesquisa. O curador de conhecimento Antônio Carlos Toze (51), é outro que mantém o hábito adquirido desde a infância de consultar o “livro que teria o significado de todas as palavras”.

O programa “Estação Cultura“, com apresentação de Teca Lima, vai ao ar pela Rádio Cultura FM 103.3 FM, de segunda à sexta-feira, às 10h da manhã, na Cultura FM, Cultura Brasil e no aplicativo Cultura Digital.

Por: Uol

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: