Internos e ex-internos do sistema socioeducativo fabricam pães para pessoas em situação de rua

Desde segunda-feira (13/04), os jovens produziram mais de 700 pães na panificadora dentro do Centro Socioeducativo Dagmar Feitosa

Contribuindo para as refeições do abrigo emergencial montado no Centro Educacional de Tempo Integral (Ceti) Áurea Braga, no bairro Compensa, zona oeste de Manaus, jovens que cumprem medidas ou já passaram pelo Centro Socioeducativo Dagmar Feitosa, localizado na rua Vivaldo Lima, bairro Alvorada, zona centro-oeste, estão fabricando pães na padaria e confeitaria que funciona dentro do local.

Desde o início da ação, que começou na última semana, mais de 700 pães já foram fabricados e levados para distribuição às pessoas em situação de rua. A fabricação deve seguir até o fim da pandemia. As pessoas estão acolhidas pelo projeto “Amazonas Solidário”, executado pelo Governo do Amazonas como medida de prevenção ao novo coronavírus (Covid-19) para o público em situação de vulnerabilidade.

A equipe é formada por jovens que já passaram pelo centro socioeducativo e também por alguns que ainda cumprem medidas. Os ex-internos, hoje maiores de idade, foram contratados em regime de CLT pela Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental (Aadesam) após integrarem o projeto “Teens ao Máximo”. Esta atividade ocorre em parceria com o Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), sendo uma metodologia que trabalha o protagonismo dos jovens, entre elas a panificação. Os ex-internos são naturais dos municípios de Ipixuna e Guajará.

De acordo com a secretária titular da Sejusc, Caroline Braz, a padaria ajuda no processo de redirecionamento social dos internos. Ela explica que a ação valoriza o trabalho dos adolescentes, ao passo que arrecada mais mantimentos por meio da mão de obra do socioeducativo.

“A padaria do Dagmar Feitosa foi reativada no ano passado, e a gente percebe o quanto esses adolescentes se sentem úteis e aprendendo um ofício. Isso é mostrado nos números, pois temos um sistema sem rebeliões, controlado, com adolescentes focados em sua possível liberdade e numa mudança de vida. Isso para nós é muito gratificante, saber que conseguimos plantar no coração desses meninos a esperança de uma vida melhor”, disse Braz, acrescentando que as doações dos insumos são provenientes da iniciativa privada.

“Quero agradecer à iniciativa privada, por meio das doações para o Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS), que possibilitou que a gente tenha esses insumos para a produção dos pães, e à Maçonaria, que está adquirindo os insumos para que esses meninos possam produzir os pães que estão sendo utilizados no café da manhã dos moradores de rua do abrigo”, afirmou.

O diretor do Centro Socioeducativo Dagmar Feitosa, Antônio Lima, explica que assim que os insumos chegaram na última semana, prontamente os jovens começaram a fabricar os pães. Ele afirma que, devido à demanda ter aumentado na escola, a produção deve aumentar para 250 pães diariamente, sendo preparados de domingo a domingo. “Nós nos colocamos à disposição para ajudar. Nós já temos essa prática e a atividade, e os meninos são uma mão de obra muito produtiva”, afirmou.

Sistema socioeducativo – A Sejusc tem como responsabilidade coordenar os trabalhos nos Centros Socioeducativos Senador Raimundo Parente, Dagmar Feitosa, Semiliberdade Masculino, e no Centro de Internação Feminina e Unidade de Internação Provisória Masculina e Feminina. Ao todo, 84 adolescentes fazem parte o sistema. Nos cinco centros administrados pela Sejusc, são oferecidas atividades como rodas de conversa, acompanhamento psicológico, atividades pedagógicas, oficinas terapêuticas e palestras.

Atuação forte – O Governo do Amazonas tem atuado em diversas frentes para atender a população mais vulnerável. Os trabalhos começaram no dia 25 de março, entre a Sejusc, a Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas) e o Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS), com a criação de um abrigo emergencial na Arena Amadeu Teixeira.Agora, além do ginásio, os pontos da campanha incluem o Centro de Convivência do Idoso (Aparecida) e a Escola Estadual Áurea Braga, no bairro Compensa. Os espaços oferecem banhos e três refeições (café da manhã, almoço e jantar) aos assistidos, e também kits de higiene, auxílio médico, psicológico e de cidadania.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: